Doçura

A maior parte dos dias é corre-corre, mais-do-mesmo. Mas hoje foi diferente. Sabe aqueles detalhezinhos que fazem seu dia ficar mais feliz, ainda que por alguns instantes?

Na plataforma do metrô, aguardando pelo trem, estava um menininho de mãos dadas com a mãe.

– Filho, fica perto da mamãe. A gente vai esperar o metrô aqui.

– Ele é grande mãe?

– É grande sim, olha, o que vai chegar é igual aquele ali do outro lado.

– Ahh! (olhos brilhando)

– E a gente vai entrar nele?

– Vamos sim, mas fica de mãos dadas com a mamãe pra não se perder.

Nesse instante, chega o trem que aguardávamos e, com ele, aqueles quase-sussuros e arrepios de som e vento, sinais do movimento rápido.

– Nossa mãe, que rápido, to com medo, não quero entrar!

– Calma filho, a gente vai dentro. Não é tão rápido dentro!

Olhei para a moça com o olhar de ternura que dois desconhecidos às vezes trocam quando se deparam com tamanha ingenuidade e, dispensando palavras, precisam compartilhar desse momento simples – muito curto – que traz algum conforto, algum sentido para a vida.

–  É a primeira vez que ele anda de metrô!

– Ah, que fofo! Eu lembro da minha primeira vez também, mas eu era mais velha do que ele.

– É, e hoje ele andou de ônibus também! Está assustado!

Voltamos a olhar o pequeno.

– Pronto filho, agora entra. Fica perto, cuidado, ó!

– Nossa mãe!! Que gelado está aqui dentro!

(Nessa hora eu pensei, ‘ainda bem que ele não teve que passar pela experiência de estar quente e lotado, talvez o tanto de gente fosse assustar mais do que  a rapidez da lataria’)

– Você já veio passear aqui, quando estava dentro da minha barriga, sabia?

– Nossa, verdade mãe? Eu não lembro!

– É que você tava dentro de mim, pequenininho, mas passeou sim! Mamãe sempre vinha com você aqui.

– Uau! Olha lá fora mãe!

Segui meu caminho e a jovem mãe, junto com seu pequeno, também. Mas não pude deixar de observar as perguntas do garoto. Era notável o deslumbre que ele viveu naquele momento, as descobertas. O metrô era grande, rápido – de dar medo. E dentro era gelado e lento. E iria levá-lo para o lugar que quisesse ir, mais rápido que ônibus, carro, ou a pé. Perguntas simples, assim. Respostas simples, também; mas não por isso menos importantes.

A simplicidade é incrível, e quando toca a gente até estremece – de ternura.