?!?!?!?!??….?…

Hoje foi um dia estranho. Foi um dia de reflexão.

Sabe, eu sei que me chateio e me preocupo demais com coisas que talvez não merecessem tanto de mim. Claro que, como vestibulanda, passar no vestibular é minha meta pra esse ano… mas a vida é tão mais alem! Me pergunto constantemente porque meu eu sofre com comparações, com o medo do futuro, com o eu de agora… O eu sofre com o eu. É verdade!

Hoje foi um dia de fatos estranhos, extraordinários, difíceis de ver sempre.

Vi, no caminho pro cursinho, um homem estrangulando e socando uma mulher no meio da rua! E tinha um outro homem bem perto, olhando tudo, acho que era parceiro dele, não sei. Mas de qualquer forma, era um homem estrangulando e socando uma mulher em plena luz do dia, avenida movimentada, e ninguém fez nada!

Na hora me senti extremamente impotente. Primeiro, porque só fui reparar no caso depois que o carro já estava passando por eles, então não tinha o que fazer. Segundo, por não saber o destino dos fatos, o que se sucedeu depois; se ela estaria bem ou se morreu.. ou sei la o que. Terceiro, porque… ah, o caminho das nossas vidas é tão incerto! As vezes estamos no lugar errado, na hora errada, ou nos envolvemos com pessoas erradas, ou somos inocentes frente aos crimes do destino e simplesmente não há o que fazer. Nem tudo, quase nada, esta sob nosso controle.

Na volta pra cara vi uma mulher paraplégica e um anão no metro. Ser tão diferente e ao mesmo tempo tão igual às milhares de pessoas que todo dia seguem por meios iguais para caminhos diferentes… como deve ser viver assim? Tenho convicção que apesar das dificuldades, essas pessoas continuam a buscar o melhor pra si, a se superar o tempo todo e a levar a vida com simplicidade e paz. Porque é isso que vale a pena.

E eu estressando por causa de nota…

A vida é feita de momentos tão melhores, tão mais intensos! Claro que é horrível se dedicar a uma coisa, e depois ter uma puta frustração. Mas sabe… o que são pequenas frustrações quando comparadas as alegrias, miudezas cotidianas, que nos fazem tão bem? Quando comparadas a poder sentir-se vivo e viver ao lado de quem se ama, e fazendo coisas que se gosta? São nada não…

Um post meio desabafo, meio reflexivo. Mas ta ai, pra registrar esse meu momento…