Das Amizade

Nunca fui uma pessoa muito sociável e até hoje não consegui mudar isso. Não sei se encaro tal coisa como defeito, ou quem sabe qualidade, ou sei lá o que.

Por causa dessa minha insocialidade sempre tive dificuldade de ter certeza, ou pelo menos segurança, de que não estou sendo inconveniente ou desagradando às pessoas com quem convivo. Tem gente que nem se preocupa se está sendo inconveniente ou não, se é querida ou não, mas eu penso bastante nisso porque tenho o terrivel defeito de não querer decepcionar ou desagradar quem está a minha volta.

Guardadas as devidas proporções (não vou me preocupar, por exemplo, se uma pessoa que eu nem tenho contato ou proximidade gosta de mim ou não), saber se agrado ou não é algo que me preocupa. Mas a coisa vai além disso.

Não basta saber se estou sendo simpática, mas saber se estou sendo entendida e até certo ponto, retribuída. Das diversas vezes que tento ser simpática e legal, em várias delas não sei se a pessoa que tá falando comigo pensa, sente, ou tenta ser o mesmo em relação a mim. Me pergunto bastante se o outro tem ou está criando certa consideração e afeto por mim, assim como eu criei por ele, ou ao menos tento criar (pra uma pessoa antisocial é difícil ser legal e não ser mal compreendida, sério)

E aí vem a questão mais corrosiva… quando sei\sinto que criei vínculo com alguém? Não precisa ser uma puta amizade que parece ser de anos… mas poxa, pelo menos uma consideração, uma simpatia!

Tenho muita vergonha de conversar com pessoas  que gostaria de conhecer melhor, e o mais engraçado nisso tudo é que mesmo após ter conhecido um pouco a pessoa e ter conversado com ela algumas vezes, chegar nela e começar um papo qualquer pra mim parece duplamente impossível, porque recai na questão do ‘será que não estou sendo inconveniente?’ e também ‘será que não estou considerando demais antes da hora?’

Hummm…

E também tem outra coisa relacionada a essa questão de amizade, que está me cutucando muito esses dias…

Sabe quando você  ‘meio que sente’ que você é tratado mais como conveniencia do que como amigo? É uma foda isso.

Você se esforça pra ser presente, confiável, paciente, confidente, ombro nas horas difíceis (ser amigo de verdade não é facil, requer esforço sim!) e depois parece que aquela pessoa que você investiu bastante os seus sentimentos, tá nem aí pra você? Caralho! Eu fico realmente puta da vida com isso!

Podemos ser ótimos amigos de festas, darmos muitas risadas juntos, trocarmos confidencias e medos, mas… por que quando eu quero simplesmente conversar sobre o que eu sinto, sobre o que estou vivendo, não é interessante ou não tem tempo pra isso? Então o que eu sinto, penso e vivo só é válido quando é algo divertido?

As vezes me pergunto porque perco tanto tempo com algumas pessoas, se elas sequer tem tempo pra mim! Acho que deveria sair pra passear mais com minha cachorra do que  com quem se diz amigo só quando é legal o ser!

Ah sim, to puta da vida esses dias, e me dou ao direito de escrever quantos palavrões forem necessários para explicitar isso.

*

Quando agente sabe se está ficando próximo de alguém? Quando podemos confiar nossos segredos e sentimentos? Mas, além disso… quando podemos ter certeza de que essa pessoa é especial pra gente, independente de convenções ou defeitos, e que nos importamos com ela?  E quando será que certas amizades deixam de ser amizades?

ps* Se alguém tiver alguma dica para timidez(meu eufemismo para antisocialidade), por favor…!

Em agosto o começo do fim.

É… o mundo roda, salta, gira, pula, pisa, chuta, morde, esmaga e só por um instante faz carinho. Ou talvez sempre faça carinho, mas de um jeito bem esquisito.

~

Amanhã volta as aulas, e hoje começa agosto…

Em agosto volta o cheiro de umidade, volta ate a claridade da manhã, mas nada muito intenso. Mas espera chegar o final do ano pra ver, ai é tudo junto e misturado!

Ansiosa, feliz, de bem com a vida eu diria… As férias me fizeram bem!

Ps* aprendendo a lidar com o mundo e gostando cada vez mais dele!

*

Não existe um caminho para a felicidade. A felicidade é o caminho.
Mahatma Gandhi

O otimismo é a fé em ação. Nada se pode levar a efeito sem otimismo.
Helen Keller

Tudo vale a pena quando a alma não é pequena.
Fernando Pessoa